Translate

domingo, 26 de junho de 2011

Na hora de dormir


Cerca de 30% das mulheres roncam durante o sono

De acordo com a Sociedade Brasileira do Sono, 20 milhões de pessoas dormem roncando, sendo 40% de homens e - pasmem! - 30% de mulheres. Excesso de peso, sedentarismo e hipertensão são os grandes vilões que contribuem para o problema que, no caso delas, é agravado pela menopausa.

"O ronco é um barulho feito pelo palato mole durante a inspiração. Até a menopausa o hormônio sexual feminino protege a via aérea, por isso a incidência nas mulheres é maior nessa fase. O índice de apneia em homens é maior até os 60 anos, a partir daí homens e mulheres ficam equiparados", explica a neurologista Andrea Bacelar, vice-presidente da Sociedade Brasileira do Sono.

Um estudo recente mostrou que 50% dos adultos roncam e, desses, 30% param de respirar durante o sono, têm apneia. Como constatar? Cansaço constante, dificuldade para emagrecer, falta de memória, hipertensão ou disfunção erétil podem ser algumas pistas.

"A apneia é um distúrbio lento, progressivo e é comum o homem não querer tratar. As queixas muitas vezes vêm das mulheres", diz Andrea, que explica que, para cada homem com insônia, há três mulheres. Além dos fatores emocionais como depressão, a insônia é causada por fatores externos como barulho, que pode ser inclusive do ronco deles.

Existem inúmeros tratamentos para os distúrbios respiratórios do sono que devem ser discutidos individualmente, pois dependem da idade, sexo, anatomia da garganta, nariz e face e principalmente da gravidade do problema detectada na polissonografia que é o exame de eleição para o diagnóstico. Algumas medidas simples, no entanto, podem amenizar o problema: reduzir ou eliminar o cigarro, não ingerir bebidas alcoólicas, evitar grandes refeições antes de dormir, evitar remédios para dormir, evitar o decúbito dorsal (barriga para cima), perder peso e realizar atividade física regular.

Data: 23/1/2011
Fonte: O Globo

terça-feira, 21 de junho de 2011

Chique é crer em DEUS!

Nunca o termo "chique" foi tão usado para qualificar pessoas como nos dias de hoje.
A verdade é que ninguém é chique por decreto. E algumas boas coisas da vida, infelizmente, não estão à venda. Elegância é uma delas.
Assim, para ser chique é preciso muito mais que um guarda-roupa ou closet recheado de grifes famosas e importadas. Muito mais que um belo carro Italiano.
O que faz uma pessoa chique, não é o que essa pessoa tem, mas a forma como ela se comporta perante a vida.
Chique mesmo é quem fala baixo. Quem não procura chamar atenção com suas risadas muito altas, nem por seus imensos decotes e nem precisa contar vantagens, mesmo quando estas são verdadeiras.
Chique é atrair, mesmo sem querer, todos os olhares, porque se tem brilho próprio.
Chique mesmo é ser discreto, não fazer perguntas ou insinuações inoportunas, nem procurar saber o que não é da sua conta.
É evitar se deixar levar pela mania nacional de jogar lixo na rua.
Chique mesmo é dar bom dia ao porteiro do seu prédio e às pessoas que estão no elevador.
É lembrar-se do aniversário dos amigos.
Chique mesmo é não se exceder jamais! Nem na bebida, nem na comida, nem na maneira de se vestir.
Chique mesmo é olhar nos olhos do seu interlocutor.
É "desligar o radar", o telefone, quando estiver sentado à mesa do restaurante, prestar verdadeira atenção a sua companhia.
Chique mesmo é honrar a sua palavra, ser grato a quem o ajuda, correto com quem você se relaciona e honesto nos seus negócios.
Chique mesmo é não fazer a menor questão de aparecer, ainda que você seja o homenageado da noite!
Chique do chique é não se iludir com "trocentas" plásticas do físico... quando se pretende corrigir o caráter: não há plástica que salve grosseria, incompetência, mentira, fraude, agressão, intolerância, ateísmo... falsidade.
Mas, para ser chique, chique mesmo, você tem, antes de tudo, de se lembrar sempre de o quão breve é a vida e de que, ao final e ao cabo, vamos todos terminar da mesma maneira, mortos sem levar nada material deste mundo.
Portanto, não gaste sua energia com o que não tem valor, não desperdice as pessoas interessantes com quem se encontrar e não aceite, em hipótese alguma, fazer qualquer coisa que não lhe faça bem, que não seja correta.
Lembre-se: O DIABO PARECE CHIQUE, MAS O INFERNO NãO TEM QUALQUER GLAMOUR!
Porque, no final das contas, chique mesmo é Crer em Deus!
Investir em conhecimento pode nos tornar sábios... mas, Amor e Fé nos tornam humanos!

GLORIA KALIL

domingo, 19 de junho de 2011

Servindo ao rei



Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;
Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e fostes ver-me.
Amados leitores e visitadores deste blog, no inicio do mês (junho) postei um artigo sobre capelania hospitalar um ministério muito lindo e importante, porém de dificil realização, são tantos enfermos em leitos hospitalares, tanto sofrimento, dores, lágrimas, tantas histórias de vida emocionantes, impactantes, que motiva e impulsiona o grupo da capelania seguir em frente, certos que nosso trabalho não é vão. I Co 15:58 “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor.”
Queridos Que privilégio poder trabalhar para o Senhor em Sua Obra! Ser um ceifeiro na Sua seara, ainda mais sabendo que a “seara é grande e poucos são os ceifeiros” (Mt 9:37).
Eu e uma equipe de visitadores hospitalar uma vez por semana entre nossos compromissos e afazeres pessoais diários, trabalho; damos uma pausa em tudo e reservamos uma hora do nosso tempo e visitamos leitos no hospital local.
Ao nos aproximarmos dos leitos somos confundidos com enfremeiros ou médicos(por causa do jaleco branco), mas ao nos identificarmos explicamos qual nosso trabalho ali dentro, que é apresentar a cada um deles o MÉDICO dos MÉDICOS Jesus Cristo.
Muitos nos recebem com educação, outros com muita alegria, pois não tem que os visite, são tão solitários e estão a tanto tempo aprisionados no leito de enfermidade que nossa visita é como um presente especial, mas há espinhos no meio do caminho, existe aqueles que estão tão enfermos no corpo e na alma, estão desiludidos, amargos sem expectativa alguma de vida que nos recebem com pouca e até mesmo nenhuma educação, e existe um grupo de dureza de coração que nos rejeita. A verdade é que ao nos rejeitarem estão rejeitando ao Senhor Jesus.
Nisso tudo importa apenas que o evangelho seja propagado. Visitamos leito por leito, falamos do grande AMOR de cristo por eles e também do Seu grande poder de cura. “Eu Sou o Senhor que cura vocês” diz Deus sobre Si mesmo em êxodo 16.26
Na Biblia sagrada podemos observar o trabalho do Médico divino, enquanto atendia seus pacientes. De uma simples febre até doenças mortais, todos os que se dirigiam a ele com confiança foram CURADOS.
Jesus tomou sobre Si a doença que deveria ser nossa e sofreu as dores que nós merecíamos ( Isaias 53.4). A cura que os medicos mortais podem nos proporcionar é sempre limitada. Mas a cura e a salvação que Jesus trouxe para as pessoas – por meio da sua entrega sem reservas, que suporta até a morte – vai além da nossa vida limitada deste mundo.
Meus queridos seguidores, leitores e amigos que acompanham “seguem” esse blog, estarei postando aqui um documentário sobre o meu trabalho na Capelania Hospitalar. Estarei contando aos leitores os frutos deste trabalho que amo muito realizar. Relatarei também as histórias de cura que a Biblia nos conta.

“Felizes são aqueles que ajudam os necessitados, pois o Senhor Deus os ajudará quando estiverem em dificuldades! O Senhor os protegerá, guardará a vida deles e lhes dará felicidade na Terra prometida. Ele não os abandonará nas garras dos inimigos. Quando estiverem doentes, de cama, o Senhor os ajudará e lhes dará saúde novamente.(Sl 41.1-3)

terça-feira, 14 de junho de 2011

Paciencia ...



Ah! Se vendessem paciência nas farmácias e supermercados…

Muita gente iria gastar boa parte do salário nessa mercadoria tão rara hoje em dia.

Por muito pouco a madame que parece uma “lady” solta palavrões e berros que lembram as antigas “trabalhadoras do cais”, e o bem comportado executivo… “O cavalheiro” se transforma numa “besta selvagem” no trânsito que ele mesmo ajuda a tumultuar!

Os filhos atrapalham, os idosos incomodam, a voz da vizinha é um tormento, o jeito do chefe é demais para sua cabeça, a esposa virou uma chata, o marido uma “mala sem alça”.
Aquela velha amiga uma “alça sem mala”, o emprego uma tortura, a escola uma chatice.
O cinema se arrasta, o teatro nem pensar, até o passeio virou novela.
Outro dia, vi um jovem reclamando que o banco dele pela internet estava demorando a dar o saldo, eu me lembrei da fila dos bancos e balancei a cabeça, inconformado…
Vi uma moça abrindo um e-mail com um texto que deletou sem sequer ler o título, dizendo que era longo demais.
Pobres de nós, meninos e meninas sem paciência, sem tempo para a vida, sem tempo para Deus.
A paciência está em falta no mercado, e pelo jeito, a paciência sintética dos calmantes está cada vez mais em alta.
Pergunte para alguém, que você saiba que é “ansioso demais” – onde ele quer chegar?
Qual é a finalidade de sua vida?
Surpreenda-se com a falta de metas, com o vago de sua resposta.

sábado, 4 de junho de 2011

quarta-feira, 1 de junho de 2011

praticando o AMOR ao próximo


Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;

Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e fostes ver-me.

Amigos, leitores e seguidores você ja ouviram a expressão CAPELANIA? Certamente que sim. Estou muito feliz e grata a Deus por poder exercer este ministério.

O que é Capelania ?

É oserviço prestado pelos capelãs.

“Capelão” designa o encarregado de prestar assistência religiosa e espiritual dentro de instituições coletivas, pública ou privada, tais como: unidades militares, hospitalar, prisional e escolar Por sua vez o serviço prestado pelos capelães é denominado de “capelania

Capelania Hospitalar

“O ministério de Capelania Hospitalar Evangélico é a prática do amor por Cristo e pelo próximo, vestido em roupas de trabalho.”

É levar esperança aos aflitos, quando esses relatam suas dores e medos aos ouvidos atentos de quem experimentou na pele a dor e a perda e, consolado por Deus, se dispõe a levar o consolo a outros. Um trabalho humanitário de solidariedade, uma tênue luz de esperança, confortando e ajudando o enfermo a lidar com a enfermidade, a engajar-se ao tratamento médico indicado, e atémesmo a preparar-se para enfrentar a morte, quando não há expectativas de cura mesmo a preparar-se para enfrentar a morte, quando não há expectativas de curaaflige, é sempre a graça, a misericórdia e o amor de Deus, em Sua busca por amizade e comunhão com o ser humano através de Cristo, que nos oferece o perdão e a vida abundante e eterna.

.Missão da Capelania

A Capelania tem como missão atuar nos hospitais através de voluntários capacitados que levam amor, conforto e esperança aos pacientes, familiares e profissionais da saúde, vivendo a fé cristã através do atendimento espiritual, emocional, social, recreativo e educacional, sem distinção de credo, raça, sexo ou classe social, em busca contínua da excelência no ensino e no ministério de consolo e esperança eternos.

Valores
Fé (propósito), ética, espírito voluntário, compromisso, respeito, honra, e acima de tudo amor.

Visão
Promover o crescimento espiritual e fé nas vidas visitadas nos leitos, também aos familiares. Apoio emocional e espiritual ao trabalho das equipes hospitalares.

Fundamento
Amor ao Próximo.

Metodologia
Visita leito a leito. Atendimento individual para ouvir, apoiar, orar por pacientes, propondo assistência aos familiares e aos colaboradores do hospital. Todo visitado recebe literatura cristã.